Arranjos Produtivos Locais (APLs)

A Política Nacional de Arranjos Produtivos Locais incentiva a promoção de negócios que envolvam, necessariamente, instituições e atores locais, de modo a criar condições para a cooperação e a geração de emprego e renda.

Ações: O Banco da Amazônia atua como membro do Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais (GTP/APL), coordenado pelo MDIC, composto por 33 instituições, o qual é responsável pela implementação da Política Nacional de Arranjos Produtivos Locais. A ação creditícia do Banco contempla o apoio à formação e o desenvolvimento de 49 arranjos produtivos locais selecionados como prioritários em todos os Estados da Amazônia.

Outra iniciativa realizada em prol do desenvolvimento local, foi a assinatura do Protocolo de Intenções entre Banco da Amazônia e o Banco do Brasil, em novembro de 2011, que visa ampliação da estratégia de negócio Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS) na região amazônica.

Com a parceria, o Banco da Amazônia busca intensificar a promoção do desenvolvimento sustentável das comunidades onde atua, visando expandir, principalmente, os pequenos e médios empreendimentos.

Entre as ações propostas esta o mapeamento dos impactos dos negócios, o fomento aos processos de desenvolvimento locais, a elaboração planos de trabalho e definição de projetos em parceria.