19/10/2017 - Concorrentes aos Prêmios Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente são julgados em Manaus

Ocorre no dia 19 de outubro, em Manaus-AM, o julgamento dos Prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente - 2017. Este ano houve 249 inscrições para as categorias Projetos de Desenvolvimento Sustentável na Região Amazônica, Iniciativa de Desenvolvimento Local, Personalidades dedicadas ao Desenvolvimento Sustentável da Região Amazônica, Empresa na Amazônia e Microempreendedores de Sucesso na Amazônia (Prêmio Florescer), sendo as três últimas honoríficas. 

“Os prêmios servem como grande incentivo aos empreendedores regionais. No Amazonia Florescer, que é uma categoria do Prêmio Banco da Amazônia dedicada aos micro empresários, consideramos a trajetória e o esforço dos proponentes para a sustentabilidade de seus negócios”, explica a economista Maria Lucia Bahia Lopes, analista do Banco da Amazônia e integrante da comissão julgadora dos Prêmios.

O Prêmio Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente contempla duas naturezas de premiação: uma para a categoria Iniciativa de Desenvolvimento Local, para ações empreendedoras na região, que revelem através de sua prática o potencial de transformação da Região Amazônica em prol do seu desenvolvimento sustentável. E a outra natureza de premiação, honorífica, abrangendo duas distinções: o reconhecimento de Empresas (Categoria Empresa na Amazônia) e de Microempreendedores de Sucesso na Amazônia (Prêmio Florescer), que contribuem para o desenvolvimento sustentável da região.

A Categoria Projetos de Desenvolvimento Sustentável na Região Amazônica contemplará projetos inovadores que resultam de estudos que consideram simultaneamente ou individualmente a conservação ambiental, a responsabilidade social e ou viabilidade econômica. Já a Categoria Personalidades dedicadas ao Desenvolvimento Sustentável da Região Amazônica tem por objetivo agraciar personalidades do meio empresarial e acadêmico, que se destacaram em prol do desenvolvimento sustentável na Região Amazônica.

“Ao criar o Prêmio, a ideia do Banco foi a de incentivar projetos inovadores oriundos de instituições de pesquisa, empreendedores e organizações da sociedade. Ao incentivá-los estamos fortalecendo e contribuindo para o desenvolvimento regional”, ressalta Laura Rocha Santos, coordenadora de Meio Ambiente do Banco da Amazônia, e também integrante da Comissão Julgadora.

O processo de escolha dos melhores projetos apresentados aos Prêmios ocorrerá na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), instituição responsável pela realização dos certames deste ano, em conjunto com o Instituo Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) do Governo Federal. Os três primeiros colocados nass categorias premiáveis receberão, respectivamente, R$ 35 mil (primeiro lugar), 15 mil (segundo ligar) e R$ 10 mil (terceiro lugar).

Instituídos desde 2004 pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e Banco da Amazônia, com o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (SEPLANCTI/AM), e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os Prêmios têm objetivo promover a reflexão e propor ações sobre as perspectivas econômicas, científicas, tecnológicas, ambientais, sociais e de empreendedorismo para o desenvolvimento sustentável da Região Amazônica. Realizadas anualmente de forma itinerante, as premiações ocorrem nos Estados que integram a Amazônia Legal.