Programa Amazônia Florescer Duplica Investimentos no Amazonas em 2014

Desde que iniciou suas operações no Amazonas, em 2010, o Amazônia Florescer tem apresentado resultados expressivos. Criado para possibilitar o acesso ao crédito aos empreendedores populares e agricultores familiares da região, somente no ano passado o programa financiou no Estado R$ 9,2 milhões, atendendo mais de 5 mil pessoas, que aplicaram os recursos nos mais diversos negócios, como mercearias, mercadinhos, lanchonetes, armarinhos, restaurantes, confecções, movelaria, artesanatos e na produção agropecuária.
O Banco da Amazônia, instituição financeira que desenvolve o programa em parceria com a Associação de Apoio a Economia Popular da Amazônia (Amazoncred), comemora os resultados e planeja duplicar os investimentos em 2014. Somente em Manaus, a instituição financeira espera fechar este ano com 6 mil clientes atendidos e aplicações na ordem de R$ R$ 12,2 milhões, números bem superiores aos 3.781 empreendedores atendidos na capital amazonense e aos R$ 6 milhões de investimentos realizados em 2013.

“Vimos cumprindo com nossa missão de fomentar as atividades produtivas e o Amazônia Florescer atende as mais variadas atividades, além de contribuir com a geração de trabalho e renda, possibilitar a melhoria do empreendimento do microemprendedor e estimular a economia dos municípios”, relata Donizete Borges de Campos, superintendente do Banco da Amazônia no Amazonas.

O Amazônia Florescer é um braço do Programa de Microcrédito Produtivo Orientado do Governo Federal na região Amazônica. Os beneficiários do programa têm importante papel na economia local, pois estão, em sua maioria, localizados em bairros periféricos e populosos, oferecendo produtos de melhor qualidade a preços acessíveis, permitindo o abastecimento das famílias de baixa renda, que residem nessas localidades.

Com atuação nas zonas urbana e rural, o Amazônia Florescer fortalece o papel fundamental do Banco da Amazônia como principal agente de desenvolvimento da Região. Os empreendedores do meio urbano que trabalham por conta própria e queiram desenvolver seus negócios, mas têm dificuldades de acessar a empréstimos por falta de garantias reais, podem acessar os créditos do Amazônia Florescer a partir da composição de grupo solidários, que podem ser formados a partir da reunião voluntária de 3 a 10 empreendedores, que devem se conhecer, terem mútua confiança e cooperarem entre si. “No grupo cada um tem seu próprio negócio e o objetivo comum é o acesso ao financiamento, sendo que todos se responsabilizam pelo crédito”, explica o superintendente.

Amazônia Florescer Urbano

Para participar do Amazônia Florescer na vertente urbana o empreendedor precisa residir ou trabalhar no bairro e ter uma atividade há pelo menos um ano, idade mínima de 18 anos, além de apresentar cópias do CPF, RG e comprovante de residência. No programa é possível obter capital de giro para compra de insumos, matéria-prima e mercadorias, sendo que as operações podem ser de R$ 300 a R$ 1 mil na primeira operação. E, nas operações subsequentes, pode haver incrementos progressivos de até R$15 mil. O prazo para pagamento nesse tipo de financiamento é de até 12 meses, com taxa de juros de 0,41% ao mês e, quanto à garantia, é exigido o aval solidário.

O empreendedor pode, ainda, obter capital de giro individual também para compra de insumos, matéria-prima e mercadorias, sendo que, neste caso, o valor da operação inicial pode chegar até R$ 3 mil e as operações subseqüentes até R$ 15 mil. O prazo de pagamento é de até 12 meses e taxa de juros de 0,41% ao mês. Aqui é exigido como garantia um ou mais avalistas com renda comprovada de no mínimo duas vezes o valor da prestação. No caso de pessoa jurídica, o aval pode ser dado pelos sócios e um avalista adicional.

Além do capital de giro, os empreendedores podem financiar, por meio de Investimento Fixo, ferramentas, máquinas e equipamentos, além de realizar pequenas reformas e ampliações das instalações do negócio. Na primeira operação é possível ter financiamento de R$ 300 a R$ 3 mil, com incrementos progressivos de até R$ 15 mil nas operações subsequentes. O prazo para quitar este tipo de financiamento é de até 24 meses, com taxas de juros de 0,41% ao mês. Para pessoas físicas, a garantia é o aval solidário ou avalistas com renda comprovada de no mínimo duas vezes o valor da prestação. Pessoas jurídicas podem apresentar como avalistas sócios e um avalista adicional.

Amazônia Florescer Rural

Em 2013, o Amazônia Florescer Rural aplicou no Amazonas R$ 3,2 milhões, atendendo as necessidades de crédito de 1.280 agricultores familiares nos municípios de Autazes, Careiro, Caapiranga, Iranduba, Manaquiri, Manaus, Novo Airão, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva.

Essa vertente de microcrédito atende agricultores familiares, especialmente o publico de baixa renda do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e os agricultores familiares do Programa de Microcrédito Produtivo Rural (MPR), antigo Pronaf B.

No Amazonas, além de contar com a parceria da Amazoncred para desenvolver o programa, o Banco da Amazônia conta, ainda, com a parceria do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário, Florestal e Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM), órgão responsável pela emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e assistência técnica aos agricultores familiares.

Para acessar os financiamentos do Amazônia Florescer Rural os agricultores precisam estar devidamente qualificados pela DAP, serem proprietários, posseiros, arrendatários ou parceiros na posse de terras; residirem na propriedade ou em local próximo; disporem de área de até 4 módulos fiscais; e obterem, no mínimo, 50% da renda familiar da exploração agropecuária ou não-agropecuária do estabelecimento. É preciso, ainda, que tenham o trabalho familiar como predominante na exploração da atividade e tenham renda bruta anual familiar de até R$ 20 mil.

Se apto, o agricultor pode financiar atividades de produção agropecuária, artesanato, comércio e serviço no meio rural no valor de até R$ 3,5 mil por operação, com juros de 0,5% ao ano. Caso pague em dia as parcelas, o empreendedor pode ganhar um bônus de adimplência de 25% em cada parcela da dívida (principal e juros). O prazo de pagamento é limitado a 24 meses, com carência de até 12 meses.

Amazoncred

Na operacionalização do Amazônia Florescer, o Banco da Amazônia conta com a parceria da Amazoncred, uma organização da sociedade civil, especializada em microcrédito, que dispõe de profissionais treinados para atender adequadamente os clientes no próprio local onde desenvolvem suas atividades produtivas.

A Amazoncred atende aos empreendedores das zonas urbana e rural, faz o levantamento socioeconômico deles e presta orientação educativa sobre o planejamento do negócio, para definição das necessidades de crédito e de gestão voltadas para o desenvolvimento do empreendimento.  O escritório do programa no município de Manaus, para a vertente Urbana, está instalado na rua Monsenhor Coutinho, 688, no Centro. Contatos pelos telefones (92) 3234-3346 ou 2123-3965. Já a vertente rural está localizada na avenida Setembro, 397/409, também no Centro. Contatos pelo telefone (92) – 2123-0066.

Sugestão de entrevistado:

Donizete Borges do Campo- Superintendente Regional AM/ RR- Banco da Amazônia

Contato: (91) 4008-2869/ (91) 4008-3491