Banco da Amazônia reinaugura agências de Capanema e Bragança

Na próxima segunda-feira, dia 4 de agosto, o Banco da Amazônia reinaugurará duas de suas principais agências no nordeste paraense: as unidades dos municípios de Capanema e de Bragança, que passaram por uma reforma completa para oferecer ainda mais conforto e segurança para os usuários dos produtos e serviços da Instituição.


Distante 160 km de Belém, Capanema é considerada uma cidade-polo e um dos municípios mais desenvolvidos da Região Bragantina. Como principal agente de fomento do Governo Federal no Norte do país, o Banco da Amazônia tem contribuído para o progresso local e dos demais 14 municípios que estão sob a jurisdição da unidade, no caso, Bonito, Cachoeira do Piriá, Capitão Poço, Garrafão do Norte, Nova Esperança do Piriá, Nova Timboteua, Ourém, Peixe Boi, Primavera, Quatipuru, Salinópolis, Santa Luzia do Pará, Santarém Novo e São João de Pirabas.

Para se ter ideia da importância da atuação do Banco na economia desses municípios, neles já foram aplicados mais de R$ 23 milhões de janeiro a julho deste ano, sendo que o volume mensal de investimentos gira em torno de R$ 3,5 milhões, entre pessoas físicas e jurídicas. A agência de Bragança tem entre sua clientela mais de 5 mil PF e mais de 500 clientes PJ, dentre os quais estão microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenas empresas (MPE) e empresas de médio porte.

Entre os empreendedores está Antônio Kauati, dono da Radisco Magazine, empresa tradicional de Capanema, que emprega 150 funcionários e atua na comercialização de móveis e eletrodomésticos. Cliente do Banco da Amazônia há mais de dez anos, o empresário está em seu terceiro financiamento, sendo que o último serviu para a construção do Centro de Distribuição Inteligente e reforma e ampliação da Radisco Magazine, o que permitiu melhorar a logística do empreendimento.

“Meu sogro, fundador da Loja Radisco, foi cliente do Banco por mais de 30 anos. Quando a Radisco Magazine surgiu demos continuidade nesta boa relação, onde somos bem atendidos do guarda ao gerente”, relata Antônio Kauati, proprietário de nove filiais em outros municípios do Pará.

Bragança

Em Bragança, o Banco da Amazônia também tem atuação expressiva. Considerado um importante polo pesqueiro do Estado, o município tem recebido importantes investimentos nessa atividade, além da agricultura e do extrativismo.

A unidade atende pessoas físicas e jurídicas, possuindo mais de mil clientes, dentre os quais estão microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenas empresas (MPE), produtores rurais beneficiados por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e beneficiários do INSS.

O empresário Gilvan de Paula Silva é um desses clientes. A empresa dele, a GPESCA, de processamento de pescados, emprega 135 funcionários e se relaciona com o Banco desde que iniciou suas atividades há doze anos.

No período, foram realizadas inúmeras operações de fomento, câmbio e comercial. “O Banco da Amazônia é muito importante para a Região e nós empresários precisamos desses financiamentos para alavancar nossos negócios. Ao longo desse tempo vimos renovando a parceria, o que demonstra que vem dando certo”, relata o empresário.

Além de Bragança, a agência tem sob sua jurisdição os municípios de Augusto Correia, Tracuateua e Viseu. A reinauguração de Capanema ocorrerá a partir das 9 horas, já da unidade de Bragança está marcada para as 16 horas.