Lucro líquido cresce 77,5% em relação ao semestre anterior

12/8/21015 - No primeiro semestre de 2015, registra-se o lucro líquido de R$ 106,7 milhões, representando um crescimento de 77,5% em relação ao primeiro semestre de 2014 (R$ 60,1 milhões).

 

Esse resultado permitiu ao Banco alcançar uma rentabilidade de 12,5% sobre o Patrimônio Líquido no período, contra 7,4% no primeiro semestre de 2014. Ressalte-se que o Banco encerrou o primeiro semestre de 2015 com um Patrimônio Líquido de R$ 1,79 bilhão, o que elevou o PL em 7,1% em relação ao mesmo período de 2014, quando este foi de R$ 1,67 bilhão.

Lucro Líquido da Instituição nos últimos exercícios:

 ll

O primeiro semestre de 2015 encerrou com um índice de Basiléia de 16,6%, sendo que este no mesmo período do ano passado foi de 12,7%. O Índice de Basiléia mensura o capital regulamentar da Instituição, verificando a compatibilidade do patrimônio de referência (PR) com o grau de risco dos ativos, passivos e compensação.

Evolução do Patrimônio Líquido da Instituição:

pl

 

RESULTADO OPERACIONAL TEM CRESCIMENTO DE 105,2% E ATINGE R$ 248,6 MILHÕES

No primeiro semestre de 2015, o Resultado Operacional foi de R$ 248,6 milhões, representando um crescimento de 105,2% em relação ao mesmo período de 2014, quando os números apresentados foram de R$ 121,2 milhões. Esse resultado é fruto das ações estratégicas realizadas e do esforço de todos os colaboradores na busca do fortalecimento do Banco.

Merecem destaque os seguintes aspectos:

  • Elevação das receitas com operações de crédito (Fomento e Comercial) na ordem de 48,9%, chegando a R$ 246,8 milhões, sendo que em 2014, no primeiro semestre, o valor foi de R$ 165,8 milhões;
  • Evolução do resultado com Títulos e Valores Mobiliários de 20,9% em relação ao mesmo período de 2014 (R$355,3 milhões), chegando ao montante de R$ 429,6 milhões;
  • Controle das Despesas a partir da permanência da política de contingenciamento adotada pela Alta Administração aliada ao estabelecimento de metas de redução de despesas gerenciáveis.
  • Lançamentos de novos produtos e serviços.

Resultado Operacional do Banco nos últimos anos:

ro

 

Vale ressaltar que o Índice da Qualidade da Carteira passou de 8,7% (junho/2014) para 8,6% em junho de 2015, significando que se manteve estável, demonstrando um controle maior sobre a Inadimplência. Na carteira de risco do FNO, a inadimplência, que em junho/2014 estava em 10,2%, caiu 2 pontos percentuais, fechando junho/2015 em 8,2%. Apesar de ainda estar alta e pedir ainda mais gestão, os números demonstram um viés positivo de queda.

 

CARTEIRA DE CRÉDITO ATINGE R$ 22,2 BILHÕES E BANCO CRESCE SEU MARKET SHARE DE 58,59% PARA 59,87% DO CRÉDITO DE FOMENTO DA REGIÃO NORTE

A carteira de crédito fechou, no primeiro semestre de 2015, com um saldo de R$ 22,2bilhões na sua carteira de crédito (fomento e comercial, incluído o FNO), o que representa um crescimento de 23,2% em relação ao mesmo período de 2014 (R$ 18,1 bilhões). Instrumento de política econômica de fundamental importância na promoção do desenvolvimento regional, o volume de crédito aplicado pelo Banco potencializa os efeitos multiplicadores da economia, elevando o produto, a renda, os salários, a arrecadação de tributos e a geração de empregos na Amazônia.

Evolução do saldo da Carteira de Crédito Administrada pelo Banco:

ct

 

O Banco da Amazônia é responsável por mais de 59,87% do crédito de fomento (longo prazo) aplicado na Região Norte, representando um crescimento de 1,28% no market share (participação de mercado), que era de 58,59%. Com esse resultado, o Banco amplia sua liderança no fomento na Região (Fonte BCB – Abril/2014 e Abril/2015).

 

TOTAL DE ATIVOS CONSOLIDADOS ATINGE R$ 32,2 BILHÕES

No primeiro semestre de 2015, os Ativos Totais da Instituição, somados aos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), chegaram ao montante de R$ 32,2 bilhões, representando uma evolução de 8,41%em relação ao mesmo período de 2014 (R$ 29,7 bilhões). Com esses números, o Banco se consolida cada vez mais como a principal Instituição Financeira da Região Norte e braço forte do Governo Federal na consecução das políticas públicas, especialmente, no que se refere à aplicação dos recursos do FNO em todos os estados da região.

As operações de créditos também cresceram. Em junho de 2015, foi fechado o valor de R$ 3,4 bilhões, enquanto que no mesmo período do ano passado, esse número foi R$ 2,5 bilhões. Um variação positiva de 36%.

Ativos Totais do Banco nos últimos anos:

ativostotais

 

APLICAÇÃO DE CRÉDITO DE FOMENTO CHEGA A R$ 2,2 BILHÕES

O volume total de crédito de fomento (longo prazo) contratado chegou a R$ 2,2 bilhões, superando em 8,3% o realizado no mesmo período do ano passado (R$ 2,033 bilhões). O desempenho deve-se, principalmente, ao nível de contratação nas fontes com o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), que no 1º semestre, fechou com o valor de R$ 1,97 bilhão.

O gráfico apresentado a seguir mostra essa evolução nos últimos anos:

fomentocontratado

APLICAÇÃO DE RECURSOS DO FNO SUPERA O VOLUME DE R$ 1,9 BILHÃO

No primeiro semestre de 2015, foi aplicado um volume de R$ 1,9 bilhão com recursos provenientes do FNO, principal fonte de recursos governamentais voltados para o desenvolvimento da Região. Esse volume representa um crescimento da ordem de 13,37% em relação ao mesmo período do exercício anterior, o que evidencia cerca de R$ 233,4 milhões a mais do que foi aplicado no primeiro semestre de 2014.

Evolução da aplicação dos recursos do FNO nos últimos anos:

fnocontratado

 

LIBERAÇÃO DE RECURSOS DE FOMENTO ALCANÇA O VOLUME DE R$ 2,8 BILHÕES

O volume de crédito de fomento superou a marca dos R$ 2,8 bilhões, o que representa crescimento de 23%, em relação ao mesmo período de 2014. O FNO atingiu R$ 2,4 bilhões, registrando uma evolução de mais de 20%. O volume liberado mostra que o Banco avançou em seus processos de crédito e com isso acaba por injetar mais recursos na economia regional, impulsionando os novos negócios.

Evolução da liberação dos recursos de fomento e do FNO nos últimos anos:

 fomentolib

fnoliberado

 

CONTRATAÇÕES POR MEIO DO PROGRAMA FNO – BIODIVERSIDADE CRESCEM 265,9% E ALCANÇAM INVESTIMENTOS NA ORDEM DE R$ 172,2 MILHÕES

Dos R$ 1,9 bilhão contratados por meio do FNO no primeiro semestre de 2015, R$ 172,2 milhões se deram por meio do Programa de Financiamento para Manutenção e Recuperação da Biodiversidade Amazônica, o FNO-Biodiversidade. Este Programa contribui para a manutenção e recuperação da biodiversidade da Amazônia, por meio da concessão de financiamentos para empreendimentos voltados para a regularização e recuperação de áreas degradadas, assim como para produtores que utilizam os recursos naturais de forma racional, com a adoção de boas práticas de manejo. As operações contratadas através do FNO-Biodiversidade apresentaram evolução de 265,9%, ao atingir o montante de R$172,2 milhões, contra R$47 milhões no primeiro semestre de 2014.

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS RECEBEM APLICAÇÃO DE R$ 317 MILHÕES

No que se refere às Micro e Pequenas Empresas (MPEs), o Banco aplicou no primeiro semestre de 2015 um volume de R$ 317 milhões em mais de 1.900 operações de financiamento.

APLICAÇÕES NO MICROCRÉDITO CRESCEM 12,4%

Alinhado ao Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO) do Governo Federal, através do Programa “Amazônia Florescer”, houve a aplicação de um volume de R$ 37,1 milhões nos pequenos negócios na área, um crescimento de 12,4% quando comparado ao primeiro semestre de 2014. Com relação ao Microcrédito Rural, o volume de aplicação foi da ordem de R$ 4,8 milhões. Desde o início de suas atividades, em dezembro de 2007, o “Amazônia Florescer” já realizou 146.668 atendimentos e aplicou R$ 226,1 milhões.

CRÉDITO PARA MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS (MEI)

No primeiro semestre de 2015, o volume de contratações para os Microempreendedores Individuais foi de R$ 7 milhões, sendo que R$ 5,4 milhões somente com recursos do FNO, representando um crescimento de 112,3% em comparação com o primeiro semestre de 2014. Para alavancar o setor, reforçou-se a parceria com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE-PR) e, em conjunto com o SEBRAE, foram ministradas palestras mensais, além da participação na 7ª Semana do Microempreendedor, com atendimento personalizado aos microempreendores.

CRÉDITO PARA A AGRICULTURA FAMILIAR

No primeiro semestre de 2015, foi aplicado na agricultura familiar o montante de R$ 368,6 milhões, com a realização de 12.014 operações, uma elevação de 8,6% na aplicação em relação ao mesmo período de 2014, quando foram aplicados R$ 339,4 milhões, com a efetivação de 18.449 operações. Desde o Plano Safra 2011/2012, o Banco da Amazônia vem superando a meta de contratação estabelecida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para a Agricultura Familiar. No ano em que o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) completa 20 anos, o Banco da Amazônia comemora mais um recorde na aplicação dos recursos do Plano Safra, referente ao período 2014/2015, finalizado em 30 de junho de 2015, com aplicações que alcançaram R$ 736,2 milhões com base em uma meta de R$ 700 milhões, sendo realizadas 27.726 operações.

76,5% DOS RECURSOS DO FNO FORAM PARA OS MICRO E PEQUENOS EMPREENDIMENTOS

No período de janeiro a junho de 2015, as operações contratadas com recursos do FNO para empreendimentos com portes mini/micro, pequeno e pequeno/médio, fecharam com o valor de R$ 1,5 bilhão, representando um volume de 76,8% do total de crédito com recursos desse Fundo.

RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO ATINGE MAIS DE R$ 56 MILHÕES

Nas ações de recuperação de crédito, foram trabalhadas diversas iniciativas por parte do Banco no sentido de dar mais agilidade e foco, resultando num volume de R$ 56 milhões.

UM BANCO QUE APOIA A CULTURA, O ESPORTE, O MEIO AMBIENTE E O SOCIAL

O Banco da Amazônia aprovou aproximadamente R$ 1,9 milhão em 132 projetos em toda a Região Amazônica. As ações de patrocínio são direcionadas a projetos dos segmentos cultural, esportivo, social, ambiental, eventos, feiras e exposições, e procuram contribuir para o desenvolvimento sociocultural e ambiental, permitindo a geração de oportunidades de trabalho, emprego e renda, e auxiliando a melhoria da qualidade de vida e no acesso à inclusão social. Promove-se, ainda, auxílio no treinamento atletas,  olímpicos e paraolímpicos, geração de novos negócios, o que torna o Banco da Amazônia uma das empresas que mais investe em patrocínios na Região.

AVANÇOS TAMBÉM SE REFLETEM NA ÁREA DE TECNOLOGIA E INFRAESTRUTURA

A área de TI disponibilizou novos sistemas administrativos e de suporte aos negócios do Banco, além da melhoria dos sistemas existentes. Destacando-se as seguintes atividades: atualização e incremento da capacidade dos equipamentos de armazenamento de dados; instalação de 164 novos equipamentos de autoatendimento; conclusão da instalação de 220 novos terminais de caixa nas agências e execução do projeto de atualização tecnológica e elevação da velocidade da rede wan das agências e superintendências, reduzindo o impacto nos tempos de atendimento e serviços de retaguarda. Foi ampliado o leque de canais de autoatendimento com a disponibilização do aplicativo do Banco para mobile bank, inclusive com a possibilidade de o cliente contratar empréstimos nos canais remotos. Ocorreu também a troca total dos cartões de tarja magnética por cartões com chip, o que gerou segurança, comodidade e maior rentabilidade ao Banco.

 

BANCO CUMPRE SUA MISSÃO DE PROMOVER O DESENVOLVIMENTO E A GERAÇÃO DE BENEFÍCIOS SOCIOECONÔMICOS E EVIDENCIA QUE SEGUE NO CAMINHO CERTO

Com relação aos benefícios gerados pelo Banco na Economia Regional, destacam-se as seguintes informações:

 bene

 

PARA 2015, TEMOS A META DE R$ 8,4 BILHÕES PARA APLICAR NA AMAZÔNIA

Para 2015, mais de R$ 8,4 bilhões é a meta de aplicação de crédito para a promoção do desenvolvimento integrado e sustentável da Região Amazônica e, ao mesmo tempo, reduzir as desigualdades intra e inter-regionais, propiciando a melhoria da qualidade de vida das populações locais.

Os recursos que serão aplicados têm como funding o FNO, BNDES, FAT, OGU, FDA, FDCO, FINEP, FMM e Recursos Próprios, destacando-se a seguinte previsão:

or