Banco da Amazônia tem R$ 600 milhões do Plano Safra para a agricultura familiarBanco da Amazônia tem R$ 600 milhões do Plano Safra para a agricultura familiar


Agricultores familiares da região já podem acessar os recursos do Plano Safra 2016/2017 do Banco da Amazônia. A instituição tem disponível para o período R$ 600 milhões, recursos destinados a projetos agrícolas do Norte do país.

Ao longo dos anos, o setor tem recebido investimentos consideráveis do Governo Federal e, com a chegada do mês de julho, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário lançou mais um Plano Safra da Agricultura Familiar. Para todo o país, a versão 2016/2017 do Plano prevê investimentos na ordem de R$ 30 bilhões, no período que vai de 1º de julho de 2016 a 30 de junho de 2017.

Estratégica para a produção de alimentos e segurança alimentar dos brasileiros que residem no campo e na cidade, a agricultura familiar foi fundamental para retirar o Brasil do mapa da fome, fato reconhecido desde 2014 pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

“O Plano Safra 2016/2017 chega para reafirmar esse compromisso do governo, essa conquista histórica. Entre outros motivos, só foi possível a saída do mapa da fome porque ampliou-se a produção de alimentos saudáveis, especialmente os de sistemas de produção de base agroecológica, garantiu-se crédito mais barato para os produtores e ampliou-se a oferta de políticas para a juventude rural na agricultura familiar”, explica Cristina Ferreira Lopes, gerente de Microfinanças e Agricultura Familiar do Banco da Amazônia.

A cada ano, os recursos disponíveis no Plano Safra têm possibilitado ao agricultor familiar condições para dar robustez a seus negócios, especialmente na infraestrutura das propriedades, na ampliação, diversificação, comercialização e no aumento da produção de alimentos. Os investimentos possibilitam, ainda, a dinamização da economia local, gerando emprego e renda e estimulando a fixação do homem no campo.

Alberto Ke-iti Oppata, 51 anos, foi um dos beneficiados com os recursos do Plano Safra. Integrante da quarta geração de uma família tradicional de produtores rurais de Tomé-Açu, município do nordeste paraense distante cerca de 115 quilômetros de Belém, Oppata produz açaí, cacau, cupuaçu, limão e pitaya. Cliente do Banco da Amazônia desde 2009, ele fez uso do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), para onde são carreados os recursos do Plano Safra.

“Eu não tinha irrigação nas minhas terras e se não fosse o Pronaf provavelmente minha realidade atualmente seria outra”, relata o produtor. Os recursos lhe possibilitaram comprar máquinas para irrigar sua plantação e ampliar a produção de açaí, um dos carros-chefes das culturas que produz. “Sem dúvida, este financiamento me salvou e me manteve no campo”, conclui Oppata.

R$ 3,32 bilhões para a agricultura familiar

Nas últimas cinco safras (2011/2012 a 2015/2016), o Banco da Amazônia aplicou R$ 3,32 bilhões na Amazônia, em 167.951 mil contratos. Somente no Plano Safra 2015/2016, foram carreados R$ 548,6 milhões em recursos até o mês de junho passado, em 18.973 mil contratos. Do total dessa safra, R$ 204,5 milhões foram investidos no Pará, em 9.487 contratos.

Os recursos do Plano Safra, via Pronaf, tem ampliado o acesso ao crédito de jovens, mulheres, comunidades tradicionais, além de promover o fortalecimento de cooperativas e associações. O programa possui taxas de juros bastante atrativas, além de conceder bônus de adimplência para algumas linhas de financiamento. Mais informações sobre o Plano Safra e Pronaf podem ser obtidas no sitewww.bancoamazonia.com.br.