Dimensão Ambiental

A idéia central é o alinhamento com a Agenda 21 Brasileira no que tange à definição e execução das políticas e programas governamentais voltados para melhorias na gestão dos recursos naturais da Amazônia e da sustentabilidade nas cidades da Região, apoiadas em avanços na área de ciência e tecnologia para a sustentabilidade. Assim, o Banco da Amazônia assume os compromissos de:

  • Considerar os impactos e custos socioambientais na gestão de ativos (próprios e de terceiros) e nas análises de risco de clientes e de projetos de investimento, tendo por base a Política Nacional de Meio Ambiente;
  • Considerar nas análises de crédito as recomendações e restrições do zoneamento agroecológico ou, preferencialmente, do zoneamento ecológico-econômico, quando houver;
  • Desenvolver e aplicar, compartilhadamente com outras instituições financeiras, padrões de desempenho socioambiental por setor produtivo para apoiar a avaliação de projetos de médio e alto impacto negativo;
  • Promover o consumo sustentável de recursos naturais, e de materiais deles derivados, nos processos internos.
  • Definir e contemplar critérios socioambientais nos processos de compras e contratação de serviços;
  • Racionalizar procedimentos operacionais visando promover a máxima eficiência no uso dos recursos naturais e de materiais deles derivados;
  • Promover medidas de incentivo à redução, reutilização, reciclagem e destinação adequada dos resíduos, buscando minimizar os potenciais impactos ambientais negativos;
  • Priorizar a execução de programas e o financiamento de projetos que busquem minimizar o flagelo das queimadas;
  • Incentivar técnicas de manejo florestal nos subsistemas do bioma amazônico;
  • Induzir e apoiar a recuperação e utilização de áreas alteradas para fins produtivos;
  • Contribuir com os órgãos de assistência técnica possibilitando ao pequeno produtor acesso aos serviços de assistência técnica e extensão rural para melhoria de suas atividades produtivas;
  • Ampliar a oferta de recursos para ciência e tecnologia na região, incentivando projetos voltados a modernização e inovação por meio da incorporação de novas tecnologias a fim de melhorar a competitividade dos produtos brasileiros;
  • Intensificar medidas para mitigar os impactos ambientais gerados pelas atividades do Banco, diminuindo o consumo de recursos naturais através de programas internos de eco-eficiência, redução de resíduos e emissão de gases de efeito estufa;
  • Prover a capacitação, a conscientização e a educação de gestores, empregados e parceiros para desenvolverem as competências necessárias à implementação dos princípios e diretrizes do Protocolo de Intenções pela Responsabilidade Socioambiental;
  • Criar condições para que o Banco e seus parceiros adotem os princípios de ecoeficiência e de responsabilidade social, que aumentam a eficiência pela incorporação de valores éticos e culturais ao processo de decisão;
  • Aperfeiçoar, continuamente, os critérios de avaliação socioambientais para propostas de crédito e para projetos de financiamento; e
  • Reforçar a adoção de medidas para induzir a mitigação dos impactos ambientais negativos das atividades financiadas pelo Banco.