Governança Corporativa 

Governança Corporativa é o sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os relacionamentos entre Acionistas/Cotistas, Conselho de Administração, Diretoria, Auditoria Independente e Conselho Fiscal. As boas práticas de governança corporativa têm a finalidade de aumentar o valor da organização, facilitar o acesso às suas informações e contribuir para a sua perenidade.

A preocupação da governança corporativa é criar um conjunto eficiente de mecanismos, tanto de incentivos quanto de monitoramento, a fim de assegurar que o comportamento dos executivos esteja sempre alinhado com o interesse dos acionistas.

·         Estrutura de Governança

·          Práticas de Governança

·          Transparência

·          Equidade

·          Prestação de Contas

·           Responsabilidade Corporativa

Estrutura de Governança

A estrutura da Governança do Banco da Amazônia, assim como sua composição, funcionamento, atribuições e competências obedecem às regulamentações vigentes e ao seu Estatuto Social.

A Assembléia Geral de Acionistas é o foro de manifestação dos acionistas onde - pelo fato de o Banco só possuir ações ordinárias - todos tem direito a voto e, portanto, é considerado como órgão soberano da companhia. Além das atividades previstas na Lei das Sociedades por Ações, deverá deliberar, inclusive, sobre a promoção de práticas diferenciadas de governança corporativa. 

O Conselho de Administração, representando os acionistas ou donos do capital do Banco, é composto de seis membros, um dos quais indicado pelos acionistas minoritários para exercer atribuições estratégicas, orientadoras, eletivas e fiscalizadoras, não abrangendo funções operacionais ou executivas. Na sua composição é proibida a presença dos diretores do Banco e a nomeação do Presidente para presidi-lo e possui ainda as seguintes unidades subordinadas. 

O Comitê de Auditoria funciona como unidade de apoio ao Conselho de Administração e a ele é subordinado, atendendo às instruções emanadas CMN, através da Resolução nº 3.198/2004. 

A Auditoria Independente, selecionada através de processo de licitação, é aprovada pelo Conselho de Administração, e não prestará serviços relevantes de consultoria que conflite com as suas funções. 

A Auditoria Interna é vinculada, tecnicamente, ao Conselho de Administração e, administrativamente, à Presidência do Banco da Amazônia.

O Conselho Fiscal, que funciona de modo permanente, é integrado por quatro membros efetivos e igual número de suplentes, um dos quais indicado pelos acionistas minoritários e três outros eleitos pela União para exercer atribuições atinentes ao seu poder de fiscalização. 

A Diretoria Executiva é o órgão da administração integrado pelo Presidente e cinco Diretores, dos quais, pelo menos dois, profissionais da atividade bancária. O Presidente é nomeado pelo Presidente da República e por ele demissível “ad nutum”. Os Diretores são eleitos, entre acionistas ou não, e destituíveis, a qualquer tempo, pelo Conselho de Administração. Os Diretores possuem mandato coincidente de três anos admitida a reeleição, estendendo-se o período de respectiva gestão até a investidura de novos membros.

O Banco dispõe também, em sua estrutura organizacional, de uma Ouvidoria, com a atribuição de assegurar observância das normas legais e regulamentares, e de atuar como canal de comunicação entre a Instituição e os clientes e usuários de seus produtos e serviços, inclusive na mediação de conflitos.

Como forma de estar alinhado às boas práticas de governança corporativa, o Banco possui quatorze Comitês para analisar e deliberar sobre os assuntos relevantes da Organização.

Saiba mais...

Práticas de Governança

Em obediência às boas práticas de Governança Corporativa, o Banco da Amazônia adota como linhas mestras a transparência, a equidade, apresentação de contas e a responsabilidade corporativa através de um conjunto eficiente de mecanismos, tanto de incentivos quanto de monitoramento.

Transparência

Consciente de que a boa comunicação interna e externa, particularmente quando espontânea, franca e rápida, resulta um clima de confiança, o Banco da Amazônia, através de sua estrutura de governança e, adicionalmente à "obrigação de informar", vem aprimorando o "desejo de informar" contribuindo, com isso, para estabelecer relações transparentes com acionistas, investidores e profissionais do mercado de capitais.

A área de Relações com Investidores (RI) voltada para garantir o fluxo de comunicação com todos os públicos de interesse, realiza, dentre outras, as seguintes atividades:

·      Definição e atualização de Políticas de Divulgação e Negociação clique aqui.

·       Divulgação de Informações Relevantes ao Mercado clique aqui.


·         Manutenção do Portal da Transparência Pública clique aqui.

Equidade

Dentro dos princípios da Equidade, o Banco da Amazônia busca dar um tratamento justo e igualitário para investidores e acionistas, colaboradores, clientes, fornecedores e credores. Atitudes ou políticas discriminatórias, sob qualquer pretexto, são totalmente inaceitáveis.

Relativamente ao capital, todos os acionistas do Banco tem direito a voto manifestado em Assembléia Geral de Acionistas considerada como órgão soberano da companhia.

O Art. 7º. do Capítulo II, do Código de Ética define em seu item “V” que: “O Banco da Amazônia por seus administradores, empregados e contratados valorizam e respeitam o ser humano em sua individualidade e privacidade, não aceitando práticas que, explícita ou implicitamente, indiquem discriminação por motivo de raça, credo, sexo, idade, classe social e convicção política ou filosófica”.

O Programa de Valorização da Diversidade, criado em 2009, busca disseminar princípios e práticas de valorização da diversidade no Banco, combatendo o preconceito e a discriminação no ambiente de trabalho e no trato com a clientela. Para tanto, são promovidas ações diversas, conforme as datas do Calendário da Diversidade, como por exemplo, no Dia Internacional da Mulher (08/03); no Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial (21/03) e no Dia Nacional da Consciência Negra (20/11).
 
Prestação de Contas (Accountability)

A Administração do Banco da Amazônia é exercida por um Conselho de Administração e por sua Diretoria os quais respondem integralmente por todos os atos que praticarem no exercício de seus mandatos e prestam contas de sua atuação a quem os elegeu.

O Banco da Amazônia publica anualmente o Relatório de Administração que consolida informações relativas às suas atividades desenvolvidas durante o exercício e o Relatório de Gestão do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), do qual é administrador, compondo o processo de Prestação de Contas do Exercício ao Tribunal de Contas da União (TCU).

·         Para conhecer as Prestação de Contas do Banco da Amazônia, acesse:

Relatório de Gestão
- Relatório de Auditoria

Responsabilidade Corporativa

Para enfatizar o foco na sustentabilidade e acompanhar permanentemente as tendências de mercado, o Banco da Amazônia constituiu, em 2006, a área de Meio Ambiente e Sustentabilidade, ligada diretamente à presidência do Banco, para atuar:

·         Na elaboração de políticas, programas e procedimentos socioambientais que vão além das exigências legais;

·         No fortalecimento e prospecção de parcerias para desenvolvimento de ações positivas com os públicos de interesse com difusão das declarações e diretrizes estratégicas pela sustentabilidade, e

·           No fortalecimento e monitoramento de parcerias para discussão de problemas e busca de soluções conjuntas para entraves relacionados a questões socioambientais.

·             Na elaboração de relatórios que demonstrem as ações de Responsabilidade Corporativa do Banco da Amazônia.

Os relatórios elaborados mesclam os avanços econômico-financeiros e as conquistas sociais e ambientais realizadas pelo Banco da Amazônia, demonstrando que as três dimensões do processo de desenvolvimento sustentável estão intimamente ligadas em nosso dia-a-dia e são a base de nossas estratégias, decisões e iniciativas para cumprirmos a nossa Missão de “Criar soluções para que a Amazônia atinja patamares inéditos de desenvolvimento sustentável a partir do empreendedorismo consciente”.

·       Relatório de Sustentabilidade (anual) clique aqui.

·        Relatório de Intenções pela Responsabilidade Socioambiental (anual) clique aqui.

·         Balanços Sociais (anual) clique aqui.