Acesso à Informação
Participação Social

Nesta seção, são divulgadas informações referentes à realização de audiências públicas ou outras formas de incentivo à participação popular.

A Ouvidoria do Banco da Amazônia foi implantada em Outubro de 2007, em atendimento à Resolução 3.477 de 26/07/2007 do Conselho Monetário Nacional. Atualmente as regras de funcionamento estão regidas pela Resolução CMN 4.433 de 23/07/2015. Tem como  atribuição principal: registrar e dar tratamento formal às reclamações, denúncias, sugestões e  elogios; de clientes e usuários de produtos e serviços oferecidos pela instituição.

As denúncias são recebidas e encaminhadas às áreas responsáveis para tratamento e apuração, sendo resguardados os direitos de reserva de identidade (sigilo nos dados) ou anonimato do demandante. A Ouvidoria, vinculada à Presidência, garante a segurança das informações e tem como princípios: a ética, independência, imparcialidade e isenção.

Para as reclamações, os clientes/usuários deverão inicialmente, procurar a unidade onde ocorreu o fato e tratar o assunto com um dos nossos Gerentes de Relacionamento, a fim de verificar e resolver a situação. Caso não haja uma solução, os clientes/usuários poderão registrar uma reclamação junto ao SAC - Serviço de Atendimento ao Consumidor, através do número 0800 727 7228, onde será fornecido um número de protocolo. O SAC entrará em contato em até 05 dias úteis, com posicionamento sobre as medidas adotadas.

Caso não considere o posicionamento satisfatório, o cliente/usuário poderá registrar reclamação na Ouvidoria, mediante o número de protocolo  fornecido pelo SAC, pelos seguintes canais de atendimento:

- Via telefone (0800 722 2171);

- Através deste site

- Pelo endereço eletrônico: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.;

- Atendimentos presenciais agendados;

- Via correios, para o endereço: Av. Presidente Vargas, 800, Campina, Belém-PA, CEP: 66.017-901.

A Ouvidoria como um canal de atendimento de última instância, deverá atuar de forma transparente, imparcial e com agilidade na busca da solução que atenda aos interesses individuais e/ou coletivos.

Se desejar abrir uma ocorrência na Ouvidoria, clique aqui e preencha o formulário disponível.

O Atendimento para as pessoas com deficiência auditiva ou de fala, será feito exclusivamente através do telefone 0800 721 18 88.

Em função da Pandemia do coronavírus, excepcionalmente o horário de funcionamento da Ouvidoria a partir desta terça-feira 16/03 (exceto feriados) será de 10h às 16h

Links úteis:

Código de Defesa do Consumidor

Resolução CMN 4860/2020

Resolução CMN 3694/2009

Circular 3503/2010

Ouvidoria do Banco Central

Até o momento, o Banco da Amazônia não possui nenhuma audiência ou consulta pública em andamento.

Conferências

O Banco da Amazônia não realizou, até o momento, nenhuma conferência.

Outras ações

O Banco da Amazônia não realizou, até o momento, outras ações de participação social..

Conselho de Administração

Indicados pelo Ministro da Economia

Andrea Maria Ramos Leonel (Presidente do Conselho)


Antônio Carlos Villela Sequeira (Conselheiro Independente) 

Erik Alencar de Figueiredo (Conselheiro)


Fabio Malina Losso (Conselheiro Independente)


Valdecir José de Souza Tose (Conselheiro. Membro nato. Presidente do Banco)



Representante dos acionistas minoritários 

Lauro Arcângelo Zanol (Conselheiro)



Representante dos empregados 

Inálio Vieira Cruz (Conselheiro)

 

 

 

pdf bt peq Currículos dos Membros do Conselho de Administração

- Lei 13.303/2016, art.23, §2º e §3º e Decreto 8.945/2016, art.37, §3º e §4º -

 

Ano 2021

Última Atualização: 01/07/2021
Data da publicação: 20/01/2021

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho de Administração 2021

pdf bt peq   Atas das Reuniões Extraordinárias do Conselho de Administração 2021


Ano 2020

Última Atualização: 17/12/2020
Data da publicação: 24/01/2020

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho de Administração 2020

pdf bt peq  Atas das Reuniões Extraordinárias do Conselho de Administração 2020

 

Ano 2019

Última Atualização: 29/11/2019
Data da publicação: 25/01/2019

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho de Administração 2019

pdf bt peq  Atas das Reuniões Extraordinárias do Conselho de Administração 2019

 Conselho Fiscal

Indicados pelo Tesouro Nacional

Roberto Beier Lobarinhas (Titular. Presidente do Conselho)

Márcia Ribeiro Abreu (Suplente)


Indicados pelo Ministro de Estado da Economia

Cargo vago (Titular. Conselheiro)

Ricardo Sada Japp (Suplente)

Marília Moreira Garcez (Titular. Conselheira)

Rodrigo Rodrigues Tiraboschi (Suplente)


Representante dos Acionistas Minoritários

Amir George Francis Matta (Titular. Conselheiro)

Letícia Pedercini Issa Maia (Suplente)

 

pdf bt peq  Currículos dos Membros do Conselho Fiscal

- Lei 13.303/2016, art.23, §2º e §3º e Decreto 8.945/2016, art.37, §3º e §4º -

 

Ano 2021

Última Atualização: 11/06/2021
Data da publicação: 11/06/2021

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho Fiscal - 2021


Ano 2020

Última Atualização: 10/12/2020
Data da publicação: 31/01/2020

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho Fiscal - 2020
pdf bt peq  Atas das Reuniões Extraordinárias do Conselho Fiscal - 2020

 

Ano 2019

Data da publicação: 25/01/2019
Última Atualização: 06/01/2020

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho Fiscal - 2019
pdf bt peq  Atas das Reuniões Extraordinárias do Conselho Fiscal 2019

 

 Ano 2018

Data da publicação: 26/01/2018
Última Atualização:2112/2018

pdf bt peq  Atas das Reuniões Ordinárias do Conselho Fiscal - 2018
pdf bt peq  Atas das Reuniões Extraordinárias do Conselho Fiscal 2018

 

  Comitê Estratégico de Crédito Risco e de Capital

Indicados pelo Conselho de Administração:

- Andrea Maria Ramos Leonel  (Coordenadora)

Antônio Carlos Villela Sequeira  (Membro)

- Francisco Benício Pontes Neto  (Membro externo)


Compete ao Comitê:

a) assessorar o Conselho de Administração na gestão de riscos e de capital, proporcionando ao Colegiado uma visão abrangente e integrada dos riscos e seus impactos;

b) avaliar os níveis de apetite por riscos fixados na Declaração de Apetite e Tolerância a Riscos e as estratégias para o seu gerenciamento, considerando os riscos individualmente e de forma integrada;

c) supervisionar a atuação e o desempenho do Diretor de Controle e Riscos;

d) supervisionar a observância, pela Diretoria Executiva do Banco, dos termos da Declaração de Apetite e Tolerância a Riscos;

e) supervisionar o cumprimento das políticas relacionadas à gestão de riscos e de capital;

f) avaliar propostas de revisão da Declaração de Apetite e Tolerância a Riscos e do Plano de Capital;

g) avaliar o grau de aderência dos processos da estrutura de gerenciamento de riscos às políticas relacionadas à gestão de riscos e de capital;

h) avaliar propostas de criação e revisão de políticas relacionadas à gestão de riscos e de capital;

i) apresentar, com periodicidade mínima anual, avaliação ao Conselho de Administração sobre políticas, estratégias e limites de gerenciamento de riscos e de capital, programa de teste de estresse, política de continuidade de negócios, planos de contingência de capital e liquidez e plano de capital;

j) avaliar e propor recomendações, com periodicidade mínima anual, ao Conselho de Administração, quando necessário, acerca:

- das políticas, as estratégias e os limites de gerenciamento de riscos;

- das políticas e as estratégias de gerenciamento de capital, que estabeleçam procedimentos destinados a manter o Patrimônio de Referência (PR), o Nível I e o Capital Principal, de que trata a Resolução nº 4.192, de 1º de março de 2013, em níveis compatíveis com riscos incorridos;

- do programa de testes de estresse, conforme norma vigente;

- das políticas e as estratégias para a gestão de continuidade de negócios;

- do Plano de Contingência de Liquidez; e

- do Plano de Capital e o Plano de Contingência de Capital.

k) posicionar, no mínimo trimestralmente e por meio de reuniões, o Conselho de Administração sobre as atividades do Comitê;

l) compartilhar com o Comitê de Auditoria os assuntos que possam subsidiar as análises e elaboração do Reltório do Comitê de Auditoria;

m) manter o Conselho de Administração informado e atualizado acerca das normas, regulamentações e recomendações vigentes e praticadas no mercado, inclusive em relação às normas que venham a ser criadas e impactem as atividades do Banco, no que se refere a risco e capital;

n) desenvolver outras atividades inerentes a sua competência e/ou determinadas pelo Conselho de Administração;

o) sugerir alterações ao Regimento Interno do Comitê, submetendo-as à deliberação do Conselho de Administração;

p) tomar conhecimento dos trabalhos executados pelas auditorias interna e externa pertinentes à gestão de riscos e de capital e dos seus resultados; e

q) posicionar regularmente o Conselho de Administração sobre as atividades do Comitê.

O Comitê deve elaborar, com periodicidade anual, no prazo de noventa dias, relativamente à data base de 31 de dezembro, documento denominado “Relatório do Comitê de Riscos e de Capital”, contendo, no mínimo, as seguintes informações:

a) descrição de sua composição;

b) relato das atividades exercidas no período;

c) principais medidas adotadas para garantir o cumprimento das políticas relacionadas à gestão de riscos e de capital; e

d) descrição das modificações nas políticas relacionadas à gestão de riscos e de capital realizadas no período e suas implicações para o Banco e seus stakeholders.


Responsabilidades

Os membros do Comitê estarão sujeitos aos mesmos deveres e responsabilidades legais dos administradores, nos termos do art. 160 da Lei nº 6.404/1976, neles incluído o dever de informar ao Conselho de Administração a existência de eventual conflito de interesses (Art. 15 do Regimento Interno do Comitê).

a) Na hipótese de ser constatado conflito de interesses ou interesse particular de um dos membros do Comitê em relação a determinado assunto a ser decidido, é dever do próprio membro do Comitê comunicar, tempestivamente, tal fato aos demais membros (§1º do Regimento Interno do Comitê).

b) Caso algum membro do Comitê, que possa ter um potencial benefício particular ou conflito de interesses com alguma decisão a ser tomada, não manifeste seu benefício ou conflito de interesses, qualquer outro membro do Comitê que tenha conhecimento da situação poderá fazê-lo. A não manifestação voluntária daquele membro será considerada uma violação ao Regimento Interno do Comitê, caso os referidos benefícios particulares ou conflito de interesses venham a se confirmar (§2º do Regimento Interno do Comitê).

c) Tão logo identificado o conflito de interesses ou benefício particular, a pessoa envolvida afastar-se-á das discussões e deliberações, devendo retirar-se temporariamente da reunião até o encerramento do assunto (§3º do Regimento Interno do Comitê).

d) A manifestação da situação de conflito de interesses ou benefício particular conforme descrito no art. 15 do Regimento Interno do Comitê, conforme o caso, e a subsequente incidência do disposto no item c), acima, deverão constar da ata da reunião (§4º do Regimento Interno do Comitê).

- Aplica-se aos membros do Comitê o disposto no Código de Ética, a Política de Segurança Corporativa e a Política de Divulgação e Uso de Informações Relevantes, bem como disposto em todas as demais políticas e normas internas e regulamentação externa aplicável.


Comitê de Auditoria

Em atendimento à Resolução CMN 3.198/2004, o Banco da Amazônia disponibiliza este canal para que você possa enviar informações sobre:

- descumprimento de dispositivos legais e normativos aplicáveis ao Banco da Amazônia

- irregularidades relacionadas aos controles, práticas contábeis, auditoria interna e auditoria externa.

- indícios de fraude.

Sua mensagem será encaminhada diretamente ao Comitê de Auditoria – COAUD,   que possui atuação independente para as atribuições e encargos previstos na legislação e no Estatuto Social do Banco.

Serão  garantidas a confidencialidade e imparcialidade na análise de sua informação.

Se solicitada, sua identidade será protegida.

Link de acesso ao formulário. 

Comitê de Pessoas, Elegibilidade, Sucessão e Remuneração

Indicados pelo Conselho de Administração:

- Fábio Malina Losso  (Coordenador) 
- Andrea Maria Ramos Leonel
Carlito Silverio Ludwig

Órgão de assessoramento estratégico vinculado diretamente ao Conselho de Administração, que tem por objetivo assessorar os acionistas e o Conselho de Administração nas questões estratégicas relacionadas a gestão de pessoas, incluindo mas não se limitando aos processos de indicação, de avaliação, de sucessão e de remuneração dos administradores, conselheiros fiscais e demais membros de órgãos estatutários.

Esse Comitê se submete à legislação e à regulamentação aplicáveis e a este Regimento Interno, o qual disciplina o seu funcionamento.

Comitê Estratégico de Governança e Sustentabilidade

Indicados pelo Conselho de Administração:

- Antônio Carlos Villela Sequeira (Coordenador)

- Inálio Vieira Cruz (Membro)

- Lauro Arcângelo Zanol (Membro)

Competências:

a) Assessorar o Conselho de Administração sob o enfoque estratégico de Governança;

b) Auxiliar o Conselho de Administração, no que se refere à sustentabilidade;

c) Participar da concepção e avaliação de projetos estratégicos considerados relevantes, quando recomendado pelo Conselho de Administração;

d) Manter o CONSAD informado e atualizado acerca das normas, regulamentações e recomendações vigentes e praticadas no mercado, inclusive em relação às normas que venham a ser criadas e impactem as atividades societárias e de mercado financeiro e de capitais do Banco;

e) Manifestar-se sobre situações em que possa configurar-se cenário de conflito de interesses, cenário de risco de reputação e de imagem da instituição nas atividades do Banco;

f) analisar questões de relevância para o CONSAD, sob sua demanda e opinar sobre quaisquer outras matérias que lhe sejam submetidas por ele, bem como sobre aquelas que considerar relevantes; e

g) O Comitê deve elaborar, com periodicidade anual, no prazo de noventa dias, relativamente à data base de 31 de dezembro o "Relatório do Comitê de Governança e Sustentabilidade”

Responsabilidades:

a) A função de membro do Comitê é indelegável devendo ser exercida respeitando-se os deveres de lealdade e diligência, bem como se evitando quaisquer situações de conflito que possam afetar os interesses do Banco e de seus acionistas.

b) Os membros do Comitê estarão sujeitos aos mesmos deveres e responsabilidades legais dos administradores, nos termos do art. 160 da Lei nº 6.404/1976, neles incluído o dever de informar ao Conselho de Administração a existência de eventual conflito de interesses.

Comitê Estratégico de Inovação e Tecnologia

Indicados pelo Conselho de Administração:


- Erik Alencar de Figueiredo (Coordenador)

- Valdecir José de Souza Tose (Membro)

- Inálio Vieira Cruz (Membro)

Competências:

a) apoiar o Conselho de Administração nas discussões sobre as estratégias de tecnologia, inovação e transformação digital, emitir pareceres e recomendações para subsidiar as decisões do colegiado;

b) apreciar o Plano Diretor de Tecnologia - PDTI e as diretrizes orçamentárias voltadas à TI, emitindo recomendações ao Conselho de Administração, bem como acompanhar sua execução e as ações de inovação e de transformação digital;

d) monitorar a performance e indicadores de TI, em especial os relacionados as iniciativas de tecnologia, inovação e de transformação digital;

e) emitir recomendações sobre a governança de TI;

f) avaliar iniciativas relacionadas às práticas de inovação e transformação digital no mercado financeiro bem como seus desdobramentos ao modelo de negócios do Banco;

g) zelar e disseminar a cultura pautada pela inovação e transformação digital;

h) emitir recomendações sobre situações de potencial investimento em métodos e técnicas de inovação;

i) elaborar, com periodicidade anual, no prazo de noventa dias, relativamente à data base de 31 de dezembro, documento denominado "Relatório do Comitê de Inovação e Tecnologia"

Responsabilidades:

a) A função de membro do Comitê é indelegável devendo ser exercida respeitando-se os
deveres de lealdade e diligência, bem como se evitando quaisquer situações de conflito que possam afetar os interesses do Banco e de seus acionistas.

b) Os membros do Comitê estarão sujeitos aos mesmos deveres e responsabilidades legais dos administradores, nos termos do art. 160 da Lei nº 6.404/1976, e 13.303 neles incluído o dever de informar ao Conselho de Administração a existência de eventual conflito de interesses.

CONTATO

  •    Av. Presidente Vargas 800

  •    Telefone (Geral): 4008-3888
       

  • Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC)

       - Telefone: 0800-727 72 28   
       - Telefone: 0800-721 18 88


    Ouvidoria   
    - Telefone: 0800 722 21 71

    Help Desk do Amazônia Online   
    - Telefone: 0800 280 3595

    Canal de Denúncias
    - Telefone: 0800 744 1000